DIÁRIO OFICIAL PUBLICA RELATÓRIO FINAL DE CPI DA FOSFOETANOLAMINA – CHAMADA ‘PÍLULA DO CÂNCER’

DEPUTADO RICARDO MADALENA FOI O RELATOR DA COMISSÃO. Após cinco meses dos trabalhos da CPI, o republicano concluiu em seu relatório que houve irregularidades nas pesquisas, pedindo realização de novos testes, e a continuidade da investigação pelos órgãos competentes.

A CPI da Fosfoetanolamina, conhecida como “Pílula do Câncer”, teve seus trabalhos concluídos no dia 4 de abril deste ano. O relatório final entregue pelo relator da Comissão Parlamentar de Inquérito, deputado estadual Ricardo Madalena (PR), foi publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo dessa quarta-feira, dia 25 de abril, possibilitando a partir dessa data, que os órgãos competentes prossigam com as investigações.

Em aproximadamente duas semanas, o relatório será encaminhado pela Assembleia Legislativa, de forma oficial, para o Tribunal de Justiça de São Paulo, Ministério Público de São Paulo, Ministério Público Federal, Governo do Estado de São Paulo, Procuradoria Geral do Estado de São Paulo, Ministério da Saúde e CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico).

“Cabe agora aos órgãos competentes analisar todo nosso trabalho na CPI e dar prosseguimento às nossas investigações, para que os testes sejam feitos com total lisura, responsabilidade e transparência, acabando, assim, com qualquer dúvida em relação aos procedimentos, que devem seguir os protocolos internacionais e da própria Anvisa”, disse o relator da CPI, deputado Ricardo Madalena.

Ricardo Madalena ressalta que o Diretor da Faculdade de Medicina da USP e Presidente do Conselho Deliberativo do HCFMUSP (Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), Dr. José Otávio Costa Auler Júnior, disse em seu depoimento que “a CPI é legítima. Representa os interesses da população e é mais que legítimo se existe uma dúvida se a droga é efetiva ou não que haja uma nova apuração.”.

O relator lembra ainda que a equipe de pesquisadores do comitê do ICESP  confirmou na CPI que houve um equívoco quanto à dosagem da substância da fosfoetanolamina sintética aplicada aos pacientes.

O RELATÓRIO

O relator da CPI, deputado Ricardo Madalena, diz em seu relatório, de 178 páginas, que diante de tudo que foi apurado nos depoimentos na CPI, recomenda “a retomada imediata das pesquisas sobre a fosfoetanolamina sintética (a ‘Pílula do Câncer’), com apresentação de um novo protocolo de estudos sobre o tema, discutido com os idealizadores da substância.”.

Madalena propões também “que a retomada das pesquisas e a realização de novos testes com a substância fosfoetanolamina sintética sejam realizados em outros institutos de pesquisas e hospitais especializados, no Brasil ou no exterior, e que sejam realizados, sobretudo, com seriedade, transparência, celeridade, profissionalismo, isenção de interesses, honestidade de espírito e de propósitos!”.

O relatório sugere ainda que “o senhor governador do Estado determine a promoção da apuração da responsabilidade administrativa, pela eventual série de irregularidades, omissões e mau uso do dinheiro público na realização de pesquisas realizada pelo investigador principal, Dr. Paulo Hoff e sua equipe do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo.”.

A presidência da CPI foi exercida pelo deputado Roberto Massafera e a vice-presidência pelo deputado Rafael Silva.

Fonte:

Assessoria de Comunicação e Imprensa

Gabinete deputado Ricardo Madalena

       

Compartilhe essa matéria e curta nossa página: